2019-09-06

«Diderot e a arte de pensar livremente»: biografia plena de vivacidade de Diderot, o filósofo profeta que ajudou a construir os alicerces do mundo moderno

Neste livro organizado tematicamente, Andrew S. Curran descreve de forma vívida o relacionamento tormentoso de Diderot com Rousseau, a sua curiosa correspondência com Voltaire, as suas paixões amorosas e as suas opiniões frequentemente iconoclastas sobre a arte, o teatro, a moral, a política e a religião. Porém, o que este livro evidencia de forma brilhante é a maneira como a tumultuosa vida pessoal do escritor se tornou uma componente essencial do seu génio e da sua capacidade para escarnecer de tabus, dogmas e convenções.

Partilhar:
Cerca de 300 anos depois do nascimento do mais relevante filósofo do Iluminismo, Andrew S. Curran conta-nos com entusiasmo a história da vida de Diderot e também as das suas últimas obras-primas, desconhecidas na sua época e escritas para a posteridade, numa obra intitulada «Diderot e a arte de pensar livremente», que chega hoje às livrarias portuguesas.

Denis Diderot costuma ser associado à batalha de longas décadas que deu ao mundo a primeira Enciclopédia. Porém, os seus textos mais ousados permaneceram na sombra. Encarcerado devido ao seu ateísmo em 1749, Diderot decidiu reservar os melhores escritos para a posteridade – ou seja, para nós. No extraordinário espólio de originais não publicados, Diderot desafia todas as verdades aceites no seu século, da santidade da monarquia à justificação racial do tráfico de escravos e às regras da sexualidade humana. Catarina, a Grande, da Rússia foi uma leitora fiel de Diderot, e, além de o ter apoiado financeiramente, convidou-o a deslocar-se a Sampetersburgo para estudar a possibilidade de democratização do Império Russo.

«Um retrato exuberante de um escritor que inspira um fascínio sem fim – mais do nunca precisamos de pessoas como Diderot.»
Sarah Bakewell, autora de How to Live - Or A Life Of Montaigne In One Question and Twenty Attempts At An Answer

«Curran fez um grande trabalho […] é impossível não se gostar de Diderot.»
Adam Gopnik, New Yorker «Apaixonante […] uma narrativa que evolui com clareza e energia extraordinárias.»
Scott Russell Sanders, The Washington Post

«Uma narrativa fluida que não esquece as pequenas e as grandes peripécias da vida notável de Diderot.»
Steve Donoghue, Open Letters Review

«Uma obra triunfante […] pormenorizada, produto de uma investigação meticulosa».
Paul Burke, NB Magazine

«Uma narrativa empolgante que concede ao leitor um olhar íntimo sobre a vida de Diderot e o seu desenvolvimento intelectual».
Elena Russo, autora de Styles of Enlightenment

«Esta biografia fervilha de vida – de ideias de vida e da vida das ideias.»
Éric Fassin, autor de Populism Left and Right

«Curran recaptura o radicalismo da monumental Enciclopédia e de outros textos que são agora pedras angulares do cânone do Iluminismo.»
Laura Auricchio, autora de The Marquis

«Uma representação absorvente da vida em França no século XVIII; oferece uma visão espantosa de questões críticas, incluindo a existência de Deus e a liberdade de expressão.»
Thierry Hoquet, autor de Revisiting the Origin of Species

«Curran narra com entusiasmo a história da vida de Diderot e também a das suas últimas obras-primas, desconhecidas na sua época e escritas para a posteridade.»
Sophia Rosenfeld, autora de Common Sense

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK