2021-05-26

«Ser Animal, Ser Humano»: uma sensível, completa e perspicaz reavaliação do que significa ser humano e do nosso lugar no mundo natural

«O mundo hoje é dominado por um animal que não acredita ser um animal. E o futuro está a ser imaginado por um animal que não quer ser um animal.»

Partilhar:

Desde que Darwin publicou a sua teoria da evolução que os humanos sabem que são animais. Mas saber não é o mesmo que aceitar, e desde cedo que o Homem se procurou afastar das restantes espécies, encontrando diversas razões para esse seu excecionalismo. Melanie Challenger – investigadora de filosofia ambiental – defende que é uma ilusão acreditar que estamos separados da nossa animalidade e que essa ilusão tem consequências profundamente nefastas para a forma como vivemos e para o nosso planeta. No livro que a Temas e Debates publica a 2 de junho, Ser Animal, Ser Humano, Challenger conta a história do que significa ser humano e afirma que, no cerne da nossa existência, há uma luta profunda com o facto de sermos também animais.

 

«Este livro é uma defesa do que significa ser um animal. Não pretende ignorar as diferenças óbvias que nos distinguem. Nem resulta de uma preferência confusa por aquilo que poderia ser considerado natural. Pelo contrário, constitui uma defesa de um conhecimento mais profundo do que pensamos sobre a vida. A nossa origem animal é a história do nosso lugar no mundo. Trata-se de uma tarefa impossível sem primeiro aceitarmos que os humanos são animais. Algo que deveria ser simples, mas não é.»

 

A nossa psique esforça-se por separar a humanidade do resto da natureza, e inventou ideologias sofisticadas para reforçar esta tese. Combinando ciência, história e filosofia moral, Melanie Challenger decifra o mistério de como evoluiu este modo de pensar, examina as formas diversificadas como ele afeta a nossa vida – da política ao modo como nos distanciámos das outras espécies – e mostra que a inteligência e a consciência não são um fenómeno exclusivo dos humanos. Como redescobrir o nosso eu animal, antes que seja demasiado tarde? Como descobrir o nosso verdadeiro lugar no mundo que andamos a destruir? Cabe a cada um encontrar a sua própria resposta. Este livro é um guia para essa viagem, um livro provocador, repleto de ideias e questões filosóficas, ideal para quem já se perguntou o que é na verdade a natureza humana e o que é que torna nossa espécie tão brilhante e terrível ao mesmo tempo. Uma fascinante reavaliação do que significa ser humano e uma defesa robusta do que significa ser um animal. «O que se encontra nas páginas a seguir é uma tentativa de compreender o tipo de ser que somos. Mas representa mais do que isso. É um convite a redescobrirmos na nossa mente a beleza de se ser animal.»

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK